sexta-feira, março 08, 2019

Post 7020 - Paella, post em construção

Frigideira com azeite, atiramos para lá pedaços de frango, temperamos com sal e pimenta, deixamos fritar durante algum tempo, juntamos camarões (que temperamos também com sal e pimenta e ainda alho) pedacinhos de bacon e ervilhas, mais algum tempo, e para o meio da frigideira, 3 tomates cereja (que era os que tinha) sem pele nem sementes, tomate triturado, pimentão doce, durante algum tempo, envolvemos tudo, juntamos água

 e tiras de pimento vermelho (não tinha verde)
e por fim o arroz

Post 7019 - Hoje no Google

Dia Internacional da Mulher 2019

Post 7018 - Desafio de Escrita 4/10 - A separação



Foi depois de sair de casa que apresentou queixa.
Na acusação entretanto deduzida imputava-se ao arguido:
- Não aceitava a separação, clamava que nunca lhe daria o divórcio, e que se ela não era dele não seria de mais ninguém!
- Ligava-lhe várias vezes por dia, ia até ao prédio onde ela passara a morar e tocava à campainha de noite.
- Na rua, pela janela, ela viu-o a ameaçá-la com gestos, com o indicador tocou na própria garganta e fez um movimento horizontal como se a cortasse com uma navalha;
O arguido escutava sem parecer ouvir. Em tudo, parecia comum, um homem magro e baixinho com quem poderíamos cruzar-nos na rua.
Não quis prestar declarações.
Entrou a ofendida. Advertida da faculdade de poder recusar-se a prestar depoimento, foi o que fez, “porque ele finalmente aceitou que se divorciassem” . A testemunha seguinte, o filho do casal, também não quis falar.
Não havia mais testemunhas ou outros meios de prova. Nas Alegações, o Ministério Publico e o Defensor pediram justiça.
Nesse momento levantou-se um senhor de idade. Estivera sentado ao fundo a assistir e parecia bem zangado. É o pai da ofendida, alguém segredou. Quereria insultar o ainda genro e só se lembrou de apontar para ele, clamando: “ele é um homem sexual!”.
O Juiz mandou-o sair e deu a última palavra ao arguido que se levantou muito sério para declarar primeiro que não o era e depois que estava arrependido.
- Mas está arrependido de quê, inquiriu o Magistrado perplexo porque o arguido não confessara e não havia prova.
- “Daquilo que o Sr. Juiz der como provado” esclareceu o arguido.
Uma semana depois foi lida a sentença e no jornal local foi noticiado como mais uma vez a justiça falhara, absolvendo do crime de violência doméstica perigoso agressor.


Post 7017 - Livros 2019 (35) Na Sombra do Desejo de J. R. Ward

Na Sombra do Desejo de J. R. Ward
 Irmandade da Adaga Negra Vol IV (Butch O’Neal e Marissa)
Vencedor do prémio RITA para o melhor romance fantástico.

Wook.pt - Na Sombra do Desejo

terça-feira, março 05, 2019

Post 7016 - Sexta-feira, 1.3.2019



Green Book de Peter Farrelly, com Viggo Mortensen e Mahershala Ali (gostei muito do filme)

Cartaz do Filme

Post 7015 - Livros 2019 (34) Na Sombra do Pecado de J. R. Ward

Na Sombra do Pecado de J. R. Ward (r)
Irmandade da Adaga Negra Vol. III (Zsadist e Bella)

Wook.pt - Na Sombra do Pecado

sábado, março 02, 2019

Post 7014 - Livros 2019 (33) - Tempo fora do tempo

Tempo fora do tempo de Kenyon Sherrilyn

Wook.pt - Tempo Fora do Tempo


No site da wook:
"O tempo fora do tempo está a chegar… Kateri Avani tem sido atormentada durante toda a vida por sonhos que não compreende. Imagens de locais onde nunca esteve e de um homem que nunca viu, que tanto luta ao seu lado como a apunhala até à morte.
A sua busca por respostas leva-a a Las Vegas, onde espera finalmente silenciar os demónios na sua mente. O que ela não esperava era ficar frente a frente com o guerreiro que a assombrou e que pertence a um mundo que a cientista em si se recusa a acreditar que é real.
Ren Waya voltou dos mortos para desafiar a profecia a que deu início há milhares de anos. O mal contra o qual sempre lutou está de regresso e persegue a única pessoa que Ren não pode combater. A única pessoa que, contra a sua vontade, pode evitar que o mundo acabe.
Ren já se sacrificou uma vez. Estará ele disposto a fazê-lo novamente?"

sexta-feira, março 01, 2019

Post 7013 - Livros 2019 (32) Histórias com Juízo

Wook.pt - Histórias com Juízo


Histórias de Juízo de Mario Castrim


No site da wook:
«As personagens deste livro declaram para todos os efeitos que Mário Castrim ao escrever Histórias com Juízo estava em mais que perfeito juízo. Claro que, de vez em quando, enfim... Aquela cadeira que toma o xarope... Aquela mesa sem pernas... Aquela panela que joga à bola... Pronto. Cada um de nós tem direito a ser como é. Mais agradecemos ao autor deste livro a oportunidade que nos deu de provarmos que também temos alma, inteligência, voz. Trata-se de uma reivindicação pela qual o nosso sindicato luta há milhares de anos e que, até hoje, só foi reconhecida pelas crianças e pelos poetas. Todos os objectos estão vivos. Têm personalidade. São gente. Com muito ou com pouco juízo? Todas as histórias têm juízo. Todas. Principalmente aquelas que parecem não ter juízo nenhum.»

Post 7012 - Desafio de Escrita 3/10


Apenas uma história: a sua

No seu trigésimo aniversário decidiu morrer.
Tomada a decisão, arrepiava-a poder também falhar a meio.
Foi por isso que resolveu atirar-se da ponte mais próxima.
Estacionou o carro perto e iniciou a caminhada até ao meio da ponte.
Ainda estava escuro e um estranho silêncio antecipava a madrugada.
Sentia como nunca o ar frio no rosto, como se lhe lavasse a cara e confirmasse que estava certa.
Foi então que o viu. Mesmo no local que ela tinha escolhido, um homem de costas para ela, debruçava-se sobre a protecção, ali onde o rio era mais fundo.
Ele ouviu os seus passos e despertou do seu torpor. Virou-se para ela. Era um homem de meia-idade, com cicatrizes de um lado do rosto que ao invés de o desfigurarem, realçavam o azul intenso dos seus olhos e a atraíram.
Subitamente, sem saber porquê, quis salvá-lo.
Lembrou-se das muitas vezes que tinha conseguido reinventar-se, apesar de todos os revezes, nunca antes até àquela hora, tinha pensado em desistir.
Começou a falar com ele. Disse-lhe que tinha frio e passou logo depois para todos os argumentos que conseguia recordar para que ele não se atirasse,  Ele era muito mais forte que ela. Se o resolvesse fazer, não conseguiria impedi-lo.
Percorreu todos os lugares comuns na procura da ideia salvadora, que não conseguia encontrar. Ele só olhava para ela, sem lhe responder, sem que nada no seu rosto ou olhar lhe dissessem que estava sequer a escutá-la.
Até que ele lhe disse: “está mesmo frio. Vamos mas é tomar o pequeno-almoço”.
E foram. Os dois.
Algum tempo mais tarde, quando já começava a conhecê-lo, a entregar-se, a receber e a aceitar, soube que ele não tinha ido ali para se matar, mas que apenas gostava de olhar para o rio.



Post 7011 - Desafio de Escrita 2/10



Num momento: antes é um mundo perdido

Se não se mexesse, se pensassem que estava a dormir, seria como se nada tivesse acontecido. Como das outras vezes. A mãe viria acordá-lo da manhã e depois de lavar‑se e tomar o pequeno-almoço que ela teria pronto, sairia para a escola sem quase falar com ela.
Nos dias seguintes, e à medida que o tempo passasse, seria como se nada tivesse acontecido.              Dali a mais algum tempo poderia mesmo pôr-se a pensar se não o teria sonhado, um pesadelo que lhe parecera real, como acontece com os maus sonhos enquanto estamos a dormir, mas que o não era.
As vozes altas pareciam-lhe mais longe depois de tapar a cabeça com a manta até que acabou por adormecer sem dar conta.
Mas naquela manhã a mãe não o veio acordar.
Acordou sozinho numa quietude estranha. A luz entrava pelas persianas mal fechadas. Não sentia o cheiro de café e o silêncio pesava.
Levantou-se, receoso mesmo do som da sua própria voz. Só por isso não chamou pela mãe.
Atravessou a porta do quarto entreaberta, habituando-se à pouca luz na cozinha, pouco a pouco apercebendo-se que ali não estava sozinho.
O pai estava sentado num banco com a cabeça entre os braços apoiados na mesa. Fez algum ruído ao esbarrar noutro banco e o pai virou-se para ele. Parecia que olhando para ele não o via. Mas devia estar a vê-lo porque depois falou alto: "o que é que eu fiz". A seguir voltou a esconder o rosto nos braços mas o seu corpo foi sacudido por estremecimentos. Percebeu que o pai estava a chorar.
Não podia mais fazer de conta que nada tinha sucedido. Soube nesse momento que nunca mais ia ver a sua mãe. Foi quando começou a gritar por ela.


Post 7010

It´s a injustice! Está bem que posso não ter feito nenhuma referência em blogue ou no FB, mas passa o meu aniversário e a Fnac não me envia nenhum vale/livros?! (e tenho tão poucos...).



segunda-feira, fevereiro 25, 2019

Post 7009 - Fevereiro 2019

 7/2
16/2

E em 21/2





 Domingo 24/2

Post 7007- 1.1.2019


Post 7006 - Dezembro 2018

21/12 Tarte de maçã

22/12

 22 ou 23/12 - Jantar a seis no 4 Royal

(primeiras prendas)
(prendas no dia 25/12)


 30/12 - Arroz com pescada, tamboril, salmão, camarões e pimentos
 Leite creme

Post 7005 - Divulgação


.
Livros - Oportunidades, Bertrand, no Centro Comercial Bom Sucesso, no Porto
.

Post 7004 - Livros 2019 (31) Na Sombra do Dragão de J.R. Ward

Na Sombra do Dragão de J.R. Ward (r)
Resultado de imagem para Na Sombra do Dragão de J.R. Ward

sábado, fevereiro 23, 2019

Post 7001 - Concursos de Escrita, Divulgação

Visto aqui no Blogue Caneta, Papel e Lápis


Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce, texto e/ou ilustração, até 2 de Abril de 2019.
Concurso Novos Talentos FNAC, formato conto ou noveleta, até 19 de Abril (também disponível nas categorias de Cinema, Fotografia e Música).
Prémio Leya, formato romance, até 30 de Abril de 2019.
Prémio António de Macedo 2019, formato noveleta ou romance, promovido pela Editorial Divergência, até 30 de Junho de 2019.
Podem ver mais prémios e concursos no site da DGLAB,

segunda-feira, fevereiro 18, 2019

Post 7000 - Sexta-feira, 15.2.19 - Alita, Anjo de Combate

Alita, Anjo de Combate de Robert Rodriguez, com Rosa Salazar, Christoph Waltz, Jennifer Connelly (não gostei de como termina)

Resultado de imagem para cinema Alita