quinta-feira, dezembro 12, 2019

Post 7272 - Desafio de Escrita 10/10 - Um mal-entendido



Tudo correu bem quando se conheceram, amor à primeira vista, em simultâneo o deslumbramento e o entenderem-se sem serem precisas palavras, terem sempre algo a dizer e a disponibilidade para escutar.
Mas ela era fã do filme O Grande Amor da Minha Vida.
Pediu-lhe uma pequena prova e só por um mês. Dali a trinta dias, se ele continuasse a querê-la, se estivesse seguro que o que tinham era sério e verdadeiro, iria ter com ela, às 19.00 horas, ao cimo da Torre dos Clérigos.
Não lhe deu apelido, endereço, telemóvel, email ou contacto em rede social. Absolutamente nada.
Custaram-lhe imenso os primeiros dias. Queria vê-la. Saber que não a sonhara, que era tão bela e doce como se lembrava, apesar daquela exigência estranha que apenas aceitara porque ela não lhe dera alternativa.
À medida que o tempo passava crescia nele uma desconhecida euforia. Ia revê-la. Abraçá-la-ia. Dir-lhe-ia que a amava de verdade, os dois ficariam radiosamente felizes, consumariam a paixão, viveriam com intensidade os dias que se seguiriam.
Chegou o dia, aproximou-se a hora e correu para a Torre dos Clérigos. Alguns turistas saiam. Foi um problema para o deixaram entrar. Galgou os primeiros degraus com toda a energia que foi gastando à medida que subia. Finalmente lá em cima recuperou o fôlego e olhou à volta. Fora o primeiro a chegar. Posicionou-se de frente para as escadas e aguardou.
E aguardou, e aguardou…
Até que percebeu que ela o enganara. Nunca fora sério e verdadeiro. Fora um tolo e ela brincara com os seus sentimentos.
Saiu tão derrotado que chamou a atenção da senhora que vendia os ingressos. Ela pensou para si mesma, ele tem o mesmo ar que a jovem de ontem, o que se passará com os jovens de hoje?
Tinham-se desencontrado na contagem dos dias.

2 comentários: