segunda-feira, março 26, 2018

Post 6610 - Poesia à Mesa


Poesia à Mesa
Violeta Figueiredo (1947-), Pedro Homem de Mello (1904-1984) Golgona Anghel (1979-); José Tolentino de Mendonça (1965-) Mário Quintana (1906-1994);Camilo Pessanha (1867-1926)

Violeta Figueiredo
Poupa
Papou a poupa pipoca
do milho da maçaroca
Tanta pipoca papou
que o milho quase acabou
e agora a pipoca é pouca
(...)
"O gato do pêlo em pé", Lisboa. Caminho, 1994
Nasceu em 1947 na Figueira da Foz. Licenciada em Filologia Românica, foi professora do Ensino Secundário. Publicou uma dezena de livros infantis. Tem-se dedicado também à investigação.

Pedro Homem de Mello
Fui ter à mesa redonda.
Bebendo em malga que esconda
o beijo, de mão em mão...
Água pura, fruto agreste,
Fora o vinho que me deste
mas a tua vida não!
"Povo que lavas no rio" 1ª edição, Porto, Brasília, 1969
(1904-1984) Nasceu e morreu no Porto. Formou-se em Direito, foi magistrado, professor, Poeta e folclorista.

Golgona Anghel
Poeta na Praça da Alegria
Adoro essas mulheres com ar bana
que entram em directo no canal.
Gosto desses homens com bigodes e pulseiras grossas
Acredito nos milagres de Fátima e no bacalhau com broa.
Gosto dessa gente toda.
Quero se rum deles.
"Vim porque me pagavam", Mariposa Azul, 2011
É poeta e investigadora. Escreveu uma biografia do poeta Al Berto - Eis-me acordado muito tempo depois de mim (2006) e publicou vários livros de poesia: Vim porque me pagavam (2011) Como uma flor de plástico na montra de um talho (2013) Nadar na piscina dos pequenos (2017)

José Tolentino de Mendonça
Murmúrios do mar
"Paga-me um café e conto-te a minha vida
(...)
Pago-te um café se me contares O teu amor"
"Baldios", Lisboa, Assírio & Alvim, 1999
Nasceu em 1965 na Ilha da Madeira. É poeta, sacerdote e professor. Estudou Ciências Bíblicas em Roma e vive em Lisboa. É vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, director do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião e capelão da Capela do Rato. É também consultor do Pontifício Conselho para a Cultura (Órgão do Vaticano).

Mário Quintana
O batalhão das Letras
Esse Q das Queijadinhas
Dos bons Quitutes de Quiabo
Era um Q tão mentiroso
Que um dia criou rabo!
"Poesia Completa", Rio de Janeiro, Nova Águia, 2005
(1904-1994) - Brasileiro. Foi poeta, tradutor e jornalista. Em 1940 lançou o seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos, iniciando a sua carreira de poeta, escritor e autor infantil. Em 1980 recebeu o prémio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras

Camilo PEssanha
Vénus
Quem quebrou (que furor cruel e simiesco!)
A mesa de eu cear - tábua toca de pinho?
E me espalhou a lenha? E me entornou o vinho?
Da minha vinha o vinho acidulado e fresco.

Clepsidra, 2ª ed. Coimbra, Alma Azul, 2002
(1867-1926) Nasceu em Coimbra. Foi o mais importante poeta do Simbolismo em Portugal e precursor do princípio modernista da fragmentação. Viveu parte da sua vida em Macau como professor e funcionário público. O seu único livro Clepsidra foi publicado em 1920.

10 comentários:

  1. Poesia à segunda-feira.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sendo mais prosa, de vez em quando também gosto de ler poesia :)
      um beijinho, obrigada e uma boa semana também

      Eliminar
  2. Começar a semana com poesia, parece-me bem.
    Boa semana, Gábi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também achei Observador :)
      obrigada, uma boa semana também
      e um beijinho

      Eliminar
  3. Mas esta poesia é daquela que sabe pela vida. Isto sim, vale a pena :)

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Esta é uma iniciativa em cidade local de trabalho que gosto de acompanhar :)

      Eliminar
  5. Respostas
    1. muito diferentes pelos exemplos escolhidos

      um beijinho

      Eliminar