quarta-feira, abril 03, 2013

Post 3332

Hoje ao sair apressada do supermercado, com carteira, sacos e telemóvel, escorreguei nos degraus, e caí, ficando sentada no primeiro degrau. Felizmente ninguém viu!
Eu consigo tropeçar praticamente em tudo e tenho algumas quedas inesquecíveis:
- Aquela em que para tentar evitar a queda (o que não consegui) me agarrei a um pratinho de queijinhos frescos e assim assinalei a minha entrada no restaurante não só com queda, mas também com voo de queijinhos sobre os presentes;
- A vez em que decidi correr para apanhar o autocarro, escorreguei e fiquei estendida à frente da paragem (e perdi o autocarro);
- A queda nas escadas entre vestiários e piscina; estava só com uma amiga, mas fez um grande eco e quando virámos para a piscina tinha um público chocado a imaginar quem teria caído (claro que fiz de conta que não era nada comigo).
Normalmente tento levantar-me rapidamente, com a ideia de que pior do que a queda é ser vista, mas ter uma irmã que ri nestas situações, não ajuda. Por sorte, nestas quedas memoráveis ela não estava comigo.

11 comentários:

  1. Também tenho uma ou duas quedas aparatosas que preferia esquecer...!!!
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Deduzo pelas tuas palavras que tens uma queda para as quedas.
    :)

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho uma parecida com a do autocarro mas foi ao sair do dito... Fiquei sentada no chão, feita parva, e deu-me para acenar a quem continuava viagem. Foi na paragem da escola secundária, já lá vão muitos anos. Mas já tive outras quedas :)

    ResponderEliminar
  4. Entretanto lembrei-me ainda de outras, Maria :)




    Completament, Rui Pascoal :)
    sou óptima em quedas :)




    Essa parece ter sido muito gira, Luísa :)

    ResponderEliminar
  5. Desculpa, mas devem ser giras as tuas quedas, mas já viste se é dos sapatos?
    Eu tenho uns ténis que são uma desgraça, escorregam que se fartam.
    eu tenho pânico de quedas, penso sempre que parto qualquer coisa se cair...

    ResponderEliminar


  6. Para ti...
    Que haces sonreír a mi alma,
    y me alimentas con tus vistas.
    ► ♣ ◄

    Para ti...
    Que a través de la distancia
    me han contagiado de tu ternura.
    ► ♣ ◄

    Para ti...
    He colgado una rosa que lleva tu nombre, en la estrella más bella,
    para que cuando mires al cielo te acuerdes de mí...
    Como yo me estoy acordando en este instante de ti!!
    ► ♣ ◄

    Atte.
    María Del Carmen





    ResponderEliminar
  7. Seria óptimo se fosse por isso, Marina, mas eu consigo tropeçar com qualquer sapato :)





    Como "tinha", Carlos Barbosa de Oliveira? Espero que ela ainda continue por aí, ainda que tropeçando e caíndo, mas levantando-se depois (de preferência antes de alguém ver que se caiu)




    Obrigada pelas palavras tão bonitas, María Del Carmen, depois passarei por aí :)
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  8. querida, eu sempre tropeco em tudo...e rio de mim mesmo antes que outros o facam, tropeco e tropecei na vida tbem ,mil vezes, mas sempre consegui levantar:))
    beijinhos e obrigada por vir me ver!

    ResponderEliminar
  9. o pá... aqui há uns anos disseram-me depois de um voo picado com uma cadeira na mão, em que para não estraçalhar a cadeira resolvi segura-la no ar e cair de rabo e pernas e costas no chão. Salva a cadeira, e com plateia de mais de uma dezena de pessoas, uma amiga pergunta-me assim: Tu cais muito não cais... atirei-lhe com um, nunca notei. Mas a verdade é que farto-me de cair, para quem já tinha idade para se equilibrar nos dois pés e manter uma postura bípede qb adequada.

    Entendo-te tão mas tão mas tão bem!

    ResponderEliminar
  10. Gosto muito de a visitar, Myra e costumo ir quase todos os dias, embora só às vezes comente.
    um beijinho grande
    Gábi





    Essa queda, Jane & Cia, parece ter sido mesmo memorável :)

    ResponderEliminar